Cirurgia robótica rio de janeiro

CURRÍCULO DR. PEDROSA

Dr. José Alexandre Pedrosa é certificado para realização da cirurgia robótica pela Intuitive Surgical. Esta é a empresa americana responsável pela produção do robô da Vinci, única plataforma robótica autorizada para realização de cirurgia em humanos.

  • Estágio em Cirurgia Robótica – Cleveland Clinic Foundation.
  • International Observership em Cirurgia Robótica – Cleveland Clinic Foundation.
  • Clinical Fellowship em Urologia Oncológica e Robótica – IU Simon Cancer Center.
  • Certificado “Console Surgeon” – Intuitive Surgical.
  • Vice-presente do Comitê de Cirurgia Robótica do Instituto Nacional de Câncer (INCA).

O QUE É CIRURGIA ROBÓTICA?

A tecnologia robótica vem sendo aplicada em cirurgias urológicas desde o início da década passada. Hoje já é a técnica mais utilizada em diversos procedimentos, como, por exemplo, para o tratamento do câncer de próstata nos EUA.

A cirurgia robótica foi desenvolvida inicialmente para tumores na próstata, mas logo começou a se expandir e passou a ser utilizada em outras cirurgias delicadas. Exemplos mais comuns são tratamento de estenose ureterais, cirurgias para tumores renais, tumores na bexiga, e até alcançando outras especialidades além da urologia.

A utilização do robô permite ao cirurgião realizar cirurgias com incisões mínimas (denominadas minimamente invasivas). Outra vantagem está nos instrumentos articulados, magnificação e visão 3D. Essa tecnologia tem aplicações específicas, onde seu emprego já demonstrou vantagens em relação à técnica aberta e à laparoscopia convencional.

A única plataforma autorizada a ser utilizada nas cirurgias robóticas é o robô da Vinci, que possui essa autorização desde maio de 2001.

Robô da Vinci

O sistema cirúrgico da Vinci foi desenvolvido para permitir realização de operações delicadas e complexas através de pequenas cortes. Este tipo de cirurgia é denominado minimamente invasiva.

Utilizando a tecnologia robótica os movimentos das mãos do cirurgião são filtrados. Isso permite a retirada tremores e tradução em movimentos precisos dos instrumentos que trabalham dentro do corpo do paciente.

O sistema da Vinci possui 3 componentes básicos, incluindo:

“Patient-side cart”nefrectomia robotica - nefrectomia radical robotica

Este é o componente executor do robô. Posicionado ao lado do paciente é onde os quatro braços robóticos executam os comandos do cirurgião. O sistema permite que cada manobra cirúrgica esteja sob comando direto do cirurgião.

Os instrumentos robóticos são projetados com sete graus de movimento – uma amplitude de movimento ainda maior do que a mão humana. Cada um deles é projetado para uma tarefa específica.

 

 

cirurgia robotica console

 Console

O robô reproduz simultaneamente os movimentos de mão do cirurgião em movimentos precisos do “patient-side cart”.O console consiste de cabine de controle onde o cirurgião opera sentado ergonomicamente obtendo imagens tridimensionais de alta definição de dentro do corpo do paciente. As mãos do cirurgião se adaptam aos controles posicionados a frente de maneira confortável.

 

cirurgia robotica view cart

“Vision cart”

Monitores acoplados ao sistema permitem a visão do campo operatório para toda a equipe cirúrgica. Isso permite que o cirurgião auxiliar possa atuar durante e procedimento. O sistema de visão está equipado com um sistema óptico em 3 dimensões de alta definição e equipamento de processamento de imagem.

Câncer de Próstata

Prostatectomia Radical Robótica

Definida pela retirada da glândula prostática e das vesículas seminais, a prostatectomia radical é indicada para tratamento do câncer de próstata localizado. O procedimento é realizado através de incisão aberta ou através de portais laparoscópicos. Na robótica, os instrumentos são introduzidos por portais semelhantes aos laparoscópicos, de maneira a minimizar as incisões.

A prostatectomia radical robótica talvez seja o procedimento onde a cirurgia robótica tenha tido maior impacto. A utilização da plataforma da Vinci permite uma dissecção prostática delicada, permitindo a preservação dos feixes nervosos e esfíncter urinário. Isto se converte em maiores taxas de potência sexual e continência urinária precoce no pós-operatório.

A utilização do pneumoperitônio (gás utilizado para insuflação em cirurgias robóticas) reduz significativamente o sangramento. Esse fator é o responsável por menores taxas de transfusão sanguínea e maior segurança. Hoje cerca de 80% das prostatectomias radicais nos EUA são realizadas utilizando a plataforma da Vinci.

Câncer de Bexiga

Cistectomia Radical Robótica

A Cistectomia radical é a retirada da bexiga, próstata e vesículas seminais, em homens; e bexiga, útero e órgãos anexos, em mulheres. É indicada em casos de tumores na bexiga, na maioria das vezes invasivos. O tratamento dos tumores da bexiga a partir da cirurgia robótica, encontra-se bastante desenvolvido em centros especializados.

Através da técnica assistida por robô a retirada da bexiga é realizada por pequenas incisões, o que permite que o abdômen fique fechado por mais tempo, minimizando o dano cirúrgico.

Assim como as outras cirurgias robóticas, este procedimento minimamente invasivo permite maior liberdade dos movimentos. Com o uso do robô, podemos obter redução no sangramento e na possibilidade de transfusão sanguínea. O paciente também terá uma recuperação mais rápida e menos dolorosa.

Câncer de Rim

Nefrectomia Radical Robótica

A Nefrectomia Radical Robótica é o tipo de cirurgia do rim utilizado para retirada total do rim afetado juntamente com os tecidos circundantes. A cirurgia inclui a retirada da gordura, dos nódulos linfáticos e da fáscia de Gerota. Atualmente é o padrão para a retirada de tumores renais.

A maioria dos tumores renais pode ser retirada através da cirurgia robótica, com incisões pequenas e câmeras para visualizar e remover o rim, intacto. Nesses casos a utilização do robô permite uma dissecção mais segura dos vasos renais, tendo em vista a disponibilidade de visão em 3D e pinças articuladas.

Nefrectomia Parcial Robótica

A Nefrectomia Parcial é um procedimento onde o néfron é poupado, com remoção do tumor renal, deixando a parte não cancerosa do rim intacta. Neste tipo de cirurgia apenas o tumor é retirado, preservando a maior parte do rim.

O uso da cirurgia robótica renal, conhecida como nefrectomia parcial robótica, vem se tornando cada vez mais prevalente. Neste procedimento o robô cirúrgico da Vinci por facilita a sutura do rim, após a retirada do tumor. Este é um passo critico desta cirurgia, pois estes pontos serão responsáveis por evitar sangramento no pós-operatório.

Além disso, o tempo em que a sutura é realizada também tem grande importância, pois a artéria renal permanece ocluída durante este tempo, de maneira que quanto mais rápida a sutura, menos tempo o rim fica privado de seu suprimento sanguíneo.

Estenose de Junção Uretero-pélvica

Pieloplastia Robótica

A pieloplastia está indicada para tratamento de estreitamentos da junção da sistema coletor de urina renal e o início do canal denominado ureter. Esta patologia é denominada estenose de junção pielo-ureteral e se manifesta através de dor lombar, sangramento na urina ou infecções urinária. Em algumas situações o paciente é assintomático, porém exames de imagem demonstram a dilatação do sistema coletor renal.

O tratamento para esta patologia consiste da retirada do segmento obstrutivo e a nova  reconstrução da junção do ureter com a pelve renal. Este procedimento pode ser realizado por cirurgia aberta, laparoscópica ou através da pieloplastia robótica.

A cirurgia assistida por robô pode ser utilizada para tratamento desta patologia, oferecendo melhor visualização e destreza na realização da sutura do ureter com a pelve renal.

VANTAGENS DA CIRURGIA ROBÓTICA

As vantagens da tecnologia robótica são diversas e estão associadas aos indicadores peri-operatórios. Dentre os benefícios, destacam-se:

  • Diminuição de perda sanguínea e de necessidade de transfusões.
  • Redução de dor e complicações pós-operatórias.
  • Redução do tempo de hospitalização.
  • Prevenção de complicações relacionadas a incisões em cirurgias abertas.
  • Recuperação e retorno às atividades normais mais rápidos.
  • Vantagens específicas, por exemplo, a preservação da potência sexual e continência urinária em cirurgias para câncer de próstata.