Prostatectomia Radical Robótica

A prostatectomia radical robótica, popularmente conhecida como cirurgia robótica de próstata, é cada vez mais utilizada como cirurgia para o tratamento do câncer de próstata. Realizado em mais de 85% dos casos de cirurgia para o tratamento deste tipo de câncer nos Estados Unidos.

Este procedimento é praticado há mais de 10 anos, e a experiência acumulada aponta para melhorias importantes nos resultados cirúrgicos. Quando comparado a modalidades aberta e laparoscópica a técnica robótica demonstra vantagens importantes nos aspectos de recuperação funcional.

Por que a Prostatectomia Radical Robótica é tão eficaz?

Os inúmeros resultados positivos do procedimento acontecem por causa do sistema robótico Da Vinci, cujo desenvolvimento teve início na década de 80.

Desde que começou a realizar cirurgias em humanos o sistema Da Vinci possibilitou que houvesse melhor visualização e, consequentemente, maior precisão durante o procedimento.

Esses fatores combinados com a habilidade e a experiência do cirurgião que o comanda, fazem com que a prostatectomia radical robótica proporcione mais conforto ao paciente. Como resultado oferece redução em dor, menor sangramento e recuperação pós-operatória mais rápida.

Hoje, em sua quarta geração, Da Vinci passou por várias atualizações. Além disso, ganhou funções inovadoras a fim de facilitar os procedimentos e assegurando melhor qualidade de vida aos pacientes.

O sistema robótico Da Vinci possui 4 braços com movimentos bastante precisos e que se assemelham aos movimentos das mãos do cirurgião. Isso ocorre porque seus braços robóticos possuem seis graus de liberdade.

A adaptação da visão em 3D, que otimiza a noção de profundidade para os cirurgiões, e o filtro de tremor, para maior estabilidade durante o procedimento. Isso elimina os tremores das mãos do cirurgião, por menores que sejam.

A Prostatectomia Radical Robótica ainda depende do cirurgião

Mesmo contando com a sofisticação tecnológica do sistema robótico Da Vinci, o sucesso da cirurgia robótica de próstata ainda depende da destreza e do conhecimento profundo da técnica por parte do cirurgião.

Além do conhecimento da doença em si, o cirurgião ainda precisa passar por um treinamento intensivo e rigoroso para ser capacitado a realizar as cirurgias usando o sistema Da Vinci.

Outro ponto importante é que toda a equipe que participará da realização do procedimento cirúrgico deve estar habilitada para a prostatectomia radical robótica.

Todos desempenham papéis fundamentais em um centro cirúrgico equipado com este sistema robótico e, por isso, precisam estar adaptados e preparados para utilizá-lo com eficiência e responsabilidade.

Como a prostatectomia robótica melhora a preservação da potência sexual?

A magnificação da imagem em três dimensões associadas a instrumentos com maior precisão permitem abordar os tecidos periprostáticos delicadamente. Isso permite que se realizem diversas técnicas para atingir a preservação da maior quantidade de nervos possível.

Técnicas Preservação nervosa:

Dissecção Intrafascial – a preservação intrafascial segue a cápsula próstata abaixo da fascia prostática, permitindo a preservação completa do feixe vasculo-nervoso responsável pela potência sexual. Apesar disso este plano apresenta maior risco de lesão da cápsula.

Dissecção Interfascial – Plano interfascial situação externamente a fascia prostática, permitindo preservação de parte do feixe nervoso. Nestes casos o risco de lesão da cápsula prostática é menor, mas as taxas de potência no pós-operatório também são inferiores.

Ressecção Alargada – Em casos onde o tumor esta invadindo as estruturas peri-prostáticas realiza-se dissecção dos tecidos ao redor da glândula para retirada em bloco. Neste tipo de procedimento os nervos peri-prostáticos são seccionados e ressecados para atingir maiores taxas de cura.

Técnicas para aceleração da continência urinária

Existem algumas técnicas que são utilizadas com a finalidade de melhorar os resultados relacionados a continência urinária. Veja que técnicas são essas e o substrato para sua utilização:

Preservação de colo vesical – O colo vesical consiste de região da bexiga imediatamente superior a entrada da uretra. Nessa região ja foram demonstradas fibras musculares que apresentam a copacidade de contrair e contribuir com mecanismo esfincteriano. Sua preservação tende a influir positivamente na recuperação da continência urinária.

Preservação da fascia endopélvica – A fascia endopelvica é uma lamina de tecido de sustentação que recobre o esfíncter urinária externo. Na técnica clássica seus folhetos são abertos para dissecção do ápice prostática. Na técnica de preservação a incisão é realizada na altura do colo vesical preservando toda a estrutura de suporte do esfíncter.

Ponto de Rocco – Consiste de sutura realizada entre a fascia de Denonvellier e o esfíncter posterior com objetivo de reconstruir o suporte uretral posterior.

Ponto de suspensão anterior – Assim como a reconstrução posterior este tipo de sutura visa reconstruir o suporte uretral através da sutura fixadora a sínfise púbica.

preservação de colo vesical 3

A prostatectomia robótica permite a realização de retirada de gânglios linfáticos?

Tipos de linfadenectomia:

Ressecção de gânglios linfáticos que podem apresentar invasão tumoral

Limitada – Ressecção limitada engloba a retirada de tecido linfático da fossa obturatória que fica localizada entre o nervo obturador e veia ilíaca externa. Este tipo de procedimento pode ser indicado em tumores de baixo grau e limitados a glândula.

Estendida – A linfadenectomia estendida compreende a retirada de tecido linfático da pelve incluindo gânglios ilíacas internos, externos e comuns. Este tipo de procedimento está indicado me pacientes com tumores mais agressivos ou invasivos.

Resgate – A linfadenectomia de resgate é utilizada em casos de recorrência linfonodal isolada após a prostatectomia radical. Normalmente estes casos são detectados após elevação do psa no pós-operatório com a utilização de PET TC com PSMA.

Benefícios da Prostatectomia Radical Robótica

Conforme mencionados acima, os benefícios do sistema robótico para o cirurgião são diversos. Porém, as vantagens da prostatectomia robótica também são estendidas aos pacientes. Dentre elas destacam-se:

  • Incisões mínimas;
  • Menor tempo de hospitalização;
  • Recuperação e retorno às atividades normais mais rápidos;
  • Diminuição de complicações pós-operatórias;
  • Diminuição da perda de sangue e da necessidade de transfusões;
  • Diminuição da intensidade de dor, promovendo maior conforto ao paciente no pós-operatório;
  • Retorno mais precoce da continência urinaria; e
  • Melhora dos índices de preservação da potência sexual.

O custo do procedimento de prostatectomia radical robótica vem caindo em todas as partes do mundo.  No Brasil os planos de saúde cobrem parcialmente internação para realização dos procedimentos.